Nossos produtos conquistam cada vez mais o mercado brasileiro, o que atesta a sua qualidade e excelência. Entre janeiro e junho deste ano, as vendas totais foram 33,21% superiores às do mesmo período de 2018. Para isso, foram importantes o incremento no número de pontos de venda, que hoje chegam hoje a 1.200 em várias regiões do país, a entrada em grandes redes, o sucesso do YPY Teen (voltado para as escolas) e da linha “foods” (potes de cinco litros para composição de sobremesas) e a demanda crescente do complemento alimentar destinado a pacientes em tratamento de quimioterapia, bem como para quem precisa de alto valor proteico e calórico, como idosos, crianças sem apetite e atletas de alta performance.

No primeiro semestre de 2019, aumentamos a presença na rede do Hard Rock Café, crescemos nas contas da Cia. Zaffari, Angeloni e Panvel e investimos na expansão dos pontos de vendas no interior de São Paulo. O número de clientes subiu 20%, e a comercialização dos sorvetes no palito teve incremento de 12% no período, chegando a 300 mil unidades.

Um dos destaques foi o crescimento de 182% nas vendas da linha “foods”, focada em restaurantes que fazem composição de sobremesas – petit gateau, grand gateau, taças, bolas de sorvetes composta. Também o YPY Teen, lançado em fevereiro deste ano, se consolida e está em mais de 60 escolas da região Sul. “Hoje, esta linha representa 8% do faturamento da empresa e tende a crescer exponencialmente, pois é o único sorvete que atende a exigente legislação que regula a alimentação em cantinas de escolas”, diz o gerente de vendas da YPY, João Batista de Castro Flores.

O gerente explica que as linhas zero lactose foram as que mais cresceram no primeiro semestre, seguidas do sabor “creme romano”, que é o lançamento mais recente na linha de palitos. Considerando o período de abril a junho de 2019 (segundo trimestre do ano) sobre os mesmos meses de 2018, a expansão total foi de 85% em média, impulsionada pela venda do complemento alimentar. Com a abertura dos mercados de Belo Horizonte e Fortaleza, somada à consolidação do mercado carioca, a previsão para o segundo semestre é crescer mais de 50%.